Bambushow Brasil presente na Japan House

Exposição: JAPAN HOUSE- SÃO PAULO 
BAMBU – HISTÓRIAS DE UM JAPÃO



Ficamos orgulhos em participar da Japan House através de nosso parceiro distribuidor TÃO BAMBU . Nossos agradecimentos ao João - Diretor da Tão bambu.

“Cada cultura elege o elemento articulador de sua identidade – por vezes, explicitamente, por outras, silenciosamente. Um animal, uma planta ou um aspecto da geografia podem sintetizar a bagagem cultural de um povo, seus valores, sua visão de mundo. O Canadá, por exemplo, elegeu a árvore de maple; os Estados Unidos, a águia; a Austrália, o canguru; a Rússia, o urso. 


O bambu não foi escolhido como símbolo do Japão. Ele é, porém, uma espécie de ingrediente secreto que se manifesta de diferentes formas no tecido cultural do país.  A planta, que de tão onipresente tornou-se imperceptível aos japoneses, é o objeto da primeira exposição temática da JAPAN HOUSE São Paulo. Com ela, celebra-se o encontro de duas culturas que possuem uma riquíssima história de contato.  


  Velho conhecido do brasileiro, o bambu se apresenta em mais de 200 espécies em nosso território. Encontra-se no Acre a maior floresta nativa da planta no mundo, mas pouco sabemos aproveitá-la. Em todo o planeta há mais de 5000 usos do bambu registrados, sendo a cultura japonesa um impressionante manancial de técnicas relacionadas ao material e de algumas de suas expressões mais criativas. 


Para além dos usos mundanos, o bambu é um espírito. Uma forma de existir que se define pelo vazio, no contraste entre o caule fibroso e o oco interior. Uma ausência que, transposta à cultura japonesa, é plenitude, espaço para os potenciais, para a criação e para a mente centrada no presente. O vazio permite olhar a vida de maneira integrada. Dialogar com as tradições, os saberes e as experiências dos antepassados. Encontrar conhecimento e inspirações no cotidiano do trabalho e no contato com o outro. Enfrentar os desafios do contemporâneo com postura leve, inventiva, disruptiva. 


O pensamento japonês materializa-se em objetos palpáveis, que sintetizam experiências – e que são a melhor forma de conhecer o país. A presença do bambu se estende da cerimônia do chá às artes marciais, da música à arquitetura, das artes visuais aos utilitários rurais, dos ritos religiosos às brincadeiras de criança, da literatura à inovação e à tecnologia. Desde sempre, ele permeou toda a vida desse povo, colocando em linha o Japão contemporâneo e o da Pré-história. 


O bambu é uma gramínea, em cuja essência o japonês se reconhece. Ele tem raízes fortes, é pujante, leve, rígido, resiliente, discreto. Os atributos da planta confundem-se com os da própria cultura japonesa e explicam seu papel de protagonista silencioso dentro dela – vale mais existir do que se exibir. Debruçar-se sobre as nuances dessa relação tão íntima é abrir-se para um novo horizonte de possibilidades e sentidos”. 

Marcello Dantas, curador e diretor de programação da JAPAN HOUSE São Paulo


  • Data
  •  
  • 06.05.2017―09.07.2017
  • Terça a sábado
  •  
  • 10h às 22h
  • Domingos e feriados
  •  
  • 10h às 18h
  • Preços
  •  
  • Entrada gratuita

Fonte:http://www.japanhouse.jp/saopaulo/event/BambuHistriasDeUmJapao.html


Contato Bambushow Brasil : (43) 3528-4284/ (43) 9 9637-5353 

e-mail: bambushow@hotmail.com

Novas parcerias

A Bambushow está selecionando parceiros distribuidores em todas as regiões do Brasil. Os parceiros terão exclusividade de distribuição dos nossos produtos na região escolhida.
Uma linha de produtos de alta qualidade, com preços competitivos.
O nosso mais novo parceiro distribuidor  é  a Madeireira Mato Grosso que comercializa o material através da  Botu Bambu -  Rua Major Mateus, 168   Vila Lavradores – Botucatu – SP  – fone  14 3815-2214 .
A região de Botucatu  conta com mais de 2 milhões de pessoas, e  já podem contar com os produtos Bambushow mais próximo, ganhando com isso agilidade na entrega e um atendimento especializado do Sr. Estevan Jurandir.
Em breve cursos para artesãos, arquitetos , decoradores e outros interessados na sede da Botu Bambu.
Abaixo fotos da 1ª. Carga enviada aos parceiros .




Produção carvão de bambu



A  CARBOGREEN   está  iniciando a produção de carvão vegetal com tecnologia ambientalmente limpa,   utilizando reatores em aço inoxidável,  com aproveitamento energético da fumaça , liberando baixos níveis de emissão de gases , bem abaixo das exigências ambientais.
O carvão de bambu produzido contém  alto teor de carbono fixo o que elimina a emissão de fumaça, obtendo desta  forma  uma carne livre de compostos químicos prejudiciais a saúde.
A CARBOGREEN  está  produzindo  dois tipos de carvão vegetal:  eucalipto e o de bambu, este último é o  ideal para aplicação em  filtros de água, efluentes , e filtros especiais .
O carvão de bambu possui alta densidade , o que o torna ideal para uso em filtro de carvão ativado .

A BAMBUSHOW  é parceira da CARBOGREEN na comercialização do carvão de bambu , atendendo clientes que desejam adquirir o material no atacado . Temos estrutura para atender grandes demandas do material , contatos pelo e-mail : bambushow@hotmail.com  ou fone ( 43) 3528-4284 .



Bambucreto

Bambucreto – o bambu substituindo o ferro na construção civil





     A utilização do bambu como reforço ao concreto vem sendo estudada desde o início deste século, os resultado obtidos dos trabalhos conduzidos em vários países, durante este período, tem demonstrado sua viabilidade como material alternativo de construção. As variações volumétricas que sofre o bambu quando submetido a processos de umedecimento e secagem, e a pouca aderência que este material desenvolve com o concreto, estão entre os principais problemas a serem solucionados para a otimização da tecnologia do bambucreto. Para minimizar os referidos problemas apresentamos alguns cuidados que melhoram sua performance :
colheita de colmos maduros ( a partir do 4º. Ano )
tratamento - cozimento do material ( o amido diminui a “pega”)
usar material bem seco ( umidade entre 12 e 15 % ).
  Os resultados obtidos permitiram caracterizar alguns aspectos físico-mecânicos do bambucreto, confirmando-o como um material alternativo viável e interessante para uso em construções rurais.  Experimento feitos pela Bambushow(fotos abaixo) na utilização de um piso de bambucreto (concreto reforçado com bambu ).
    O bambu  foi aplicado em treliças amarradas com arame recozido e colocadas no meio do concreto ( 3:1:1). O resultado foi um piso de alta resistência que não apresentou trincas mesmo com o passeio de carros sobre o piso.  O bambucreto pode ser usado com economia em piso, palanques de cerca , pequenas vigas e colunas em construções.Também pode ser usado em lajotas  para uso em pisos.


Tellus Arquitetura lança Curso - Biologia das Construções



A Tellus Arquitetura, com o apoio do Sindarq/PR e do CAU/PR está trazendo para o Brasil a Arquiteta Maria Figols, vice presidente do Instituto Espanhol de Biologia das Construções.

Formada em técnica em Arquitetura pela Escola Politécnica de La Almunia (Zaragoza), onde finalizou seus estudos com a apresentação do projeto sobre Construções Rurais com terra. É formada em Engenharia de Edificações pela Universidade Nebrija (Madrid) e é Mestre em Construção Verde pela Universidade de Lleida. Publicou o livro “Arquitectura de Tierra en Valdejalón” um estudo sobre a arquitetura com terra. Desde 2010 é professora no Master em Bioconstrução na Universidade de Lleida e vice-presidente do Instituto Espanhol de Biologia de Construções.

Informações:

dia: 20 Outubro 2014
horário: 19:00 às 23:00 h
local: CAU/PR
valor: R$ 160,00 para profissionais e R$ 100,00 para estudantes

Conheça um pouco sobre os 25 princípios da Biologia das Construções
Segundo o IBN (Institut für Baubiologie + Ökologie Neubeuern), os 25 princípios da Biologia das Construções são:

Localização natural
1. O terreno deve ser livre de anomalias naturais e perturbações geobiológicas.
2. As habitações devem ser afastadas de fontes de emissões e ruído, longe de centros industriais e vias de tráfego intenso.
3. A urbanização deve ter baixa densidade e amplas áreas verdes.
4. A edificação deve ser personalizada, em harmonia com a natureza e orientada ao ser humano e à família.
Balanceamento da radiação eletromagnética
5. A radiação cósmica e terrestre é essencial e deve sofrer o mínimo possível de alteração.
6. Reduzir ao mínimo ou, preferencialmente, eliminar a radiação eletromagnética e radiofreqüência produzida pelo homem.
7. O campo magnético natural da Terra não deve ser alterado.
8. O equilíbrio natural entre a eletricidade atmosférica e a concentração iônica deve ser mantido.
Clima Interno
9. Luz, iluminação e cores devem estar de acordo com as condições naturais.
10. A edificação deve ter um odor agradável ou neutro, e nenhuma toxina deve estar presente.
11. Poluentes devem ser filtrados e neutralizados, minimizando a presença de fungos, bactérias, poeira e alérgenos.
12. A umidade interna do ar deve ser regulada naturalmente.
Conforto térmico
13. A umidade total em uma edificação deve ser baixa e capaz de secar rapidamente.
14. É necessário um equilíbrio entre isolamento térmico e retenção de calor.
15. As temperaturas do ar e das superfícies devem ser otimizadas.
16. As paredes, pisos e tetos devem ser difusíveis e higroscópicos.
17. Sistemas de aquecimento devem ser baseados em calor radiante, usando o máximo possível de calor solar.
Design Saudável
18. Os materiais de construção devem ser naturais e não adulterados.
19. Utilizar materiais de construção com pouca ou preferencialmente nenhuma radioatividade.
20. Medidas de proteção contra poluição sonora e vibrações infra e ultrasônicas devem ser orientadas aos padrões humanos.
21. O projeto de interiores e mobiliário deve ser projetado de acordo com padrões de ergonomia e design universal.
22. Devem ser utilizadas medidas, proporções e formas harmônicas.
Proteção Ambiental, eficiência energética e responsabilidade social
23. As atividades de construção não devem contribuir para a exploração de recursos raros e não renováveis.
24. A produção, utilização e descarte dos materiais de construção não devem contribuir com o aumento da poluição ambiental e altos custos de energia.
25. As atividades de construção não devem causar um aumento nos custos sociais e médicos.

Tellus Arquitetura e Sustentabilidade

41 9977-9370